escritório

escritório

domingo, 30 de março de 2014

HENRIQUE ALVES TEM CRISE DE HIPOGLECEMIA

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, passou mal durante uma reunião do PMDB na tarde desta sexta-feira (28) em Natal. A mulher do deputado federal, a jornalista Laurita Arruda, informou que Alves já está em casa e passa bem. Ele foi consultado pelo médico da família, o cardiologista Lauro Arruda.

"Foi a emoção. Ele ja vinha fazendo um discurso demorado e emocionado. Me disse que sentiu muito a presença do pai - o já falecido ex-governador Aluízio Alves. Isso mexe com o emocional das pessoas. O médico da família verificou a pressão dele. Já está com a familia e muito feliz com o resultado de tudo", disse a jornalista.

Segundo o ex-deputado estadual Álvaro Dias, que é médico, Alves teve uma crise de hipoglicemia. "Ele só precisa descansar um pouco e se hidratar", disse Álvaro Dias.

O evento aconteceu no hotel Praiamar, no bairro Ponta Negra, na zona Sul da capital potiguar. A gerência do hotel informou que mais de 500 pessoas estiveram presentes. Durante a reunião houve duas quedas de energia e o sistema de refrigeração não foi suficiente para climatizar o ambiente.


A reunião contou com a presença de lideranças principalmente do PMDB e PSB. No encontro, Henrique Alves foi lançado como nome do partido para o governo do Rio Grande do Norte. Também foi confirmada a pré-candidatura da vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, para o Senado Federal.

Em seu discurso, Henrique Alves citou os nomes do ex-presidente Luiz Inácio da Silva e da presidente Dilma Rousseff. "Cheguei ao terceiro maior posto da República, que é a presidência da Câmara dos Deputados por indicação e com o apoio de Lula e Dilma. Se eles acharam que eu poderia sucedê-los na presidência é porque sabem que estou preparado para ser governador do Rio Grande do Norte", afirmou.

Ainda referindo-se a adversários políticos locais - sem citar nomes -, Henrique disse que o Rio Grande do Norte passa por um momento em que precisa de união. "Aqueles que estão nos criticando por estarmos formando esta aliança deveriam também se unir a nós. O Rio Grande do Norte precisa de mais saúde, mais segurança, mais educação e agora também da mobilidade urbana. Nos meus 44 anos de vida pública, consegui um fato que pode ajudar o nosso estado. Hoje eu abro portas no Executivo, Judiciário e Legislativo".


G1 RN
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário