escritório

escritório

sábado, 20 de dezembro de 2014

COLUNA DO JORNALISTA TÚLIO LEMOS (JORNAL DE HOJE)

O nome do deputado Henrique Alves volta ao noticiário nacional por ter sido citado como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras. A lista com o nome de 28 políticos foi publicada pelo jornal O Estado de São Paulo.
DIFICULADE
Com o envolvimento de seu nome de forma negativa, é cada vez mais difícil Henrique assumir um ministério no segundo Governo Dilma Rousseff. O marido de Laurita tem força política no seu partido, responsável pela indicação. Porém, não dispõe do verniz da idoneidade, capaz de carimbar seu passaporte para integrar o primeiro escalão da República.
COMPROMISSO
Um dos últimos atos de Henrique como presidente da Câmara foi aposentar seu colega Paulo Wagner por invalidez. Assim, o deputado do PV vai receber integralmente o salário de parlamentar. A turma diz que foi compromisso assumido e cumprido por Henrique.
JUSTIÇA
Em relação a aposentadoria de Paulo Wagner, independente do mérito e das desconfianças que pairam sobre o ato, é necessário dizer que Henrique assinou o documento amparado por parecer da junta médica da Câmara. Dessa forma, afasta-se de qualquer responsabilidade se houver algum tipo de suposta irregularidade na concessão do benefício.
DISCURSOS
Os discursos proferidos na diplomação dos eleitos, foram relativamente curtos. Mesmo assim, a solenidade arrastou-se muito mais do que era previsto. O discurso do governador eleito Robinson Faria, foi o mais longo. Emoção, desabafo, agradecimentos e promessas para o futuro marcaram sua fala.
AGRADECIMENTO
Gesto bonito de Robinson Faria de ajoelhar-se a agradecer a Deus pelo diploma de governador. Afinal, o momento de ontem era quase inimaginável diante da desproporção que enfrentou na campanha. Emoção inevitável e perfeitamente justificável.

AMIZADE
Mais do que justa a homenagem prestada por Robinson ao seu grande amigo José Dias, durante a diplomação. Afinal, o marido de Diúda ficou contra sua própria família para defender Robinson, desde a época em que o marido de Julianne rompeu com Rosalba e ficou praticamente sozinho.
AMIZADE II
Por falar em solidão, quem será que foi lembrado pelo governador eleito para compor a futura gestão e que fazia parte daquela turma que cabia num fusca? Há notícias de bastidores que dão conta da insatisfação de gente da primeira hora que simplesmente foi ‘esquecida’ pelo futuro governador.
BAJULAÇÃO
O Centro de Convenções se transformou no metro quadrado mais ocupado por puxa-saco na solenidade de diplomação dos eleitos. Gente que precisava ser vista para tentar ocupar algum cargo no futuro Governo. É assim que funciona.
POTIGÁS
De um servidor público: “Entregar a Potigás a Beto Santos é o mesmo que deixar uma raposa faminta tomar conta de um galinheiro lotado”. Será? Beto Santos é empresário do ramo de combustível e está sendo cotado para comandar a Potigás na próxima gestão.
ADVERSÁRIO
Sherloquinho afirma que a família do futuro secretário de Turismo, Rui Pereira, o Ruysito, votou e trabalhou pela candidatura de Henrique Alves, justamente para derrotar Robinson. E agora? Mas é assim: Nem sempre o exército de combate é o mesmo de ocupação. Já virou tradição no RN.
ESTUDANTE
A senadora eleita Fátima Bezerra acertou ao escolher uma aluna do IFRN para lhe entregar o diploma. Atitude que marca ainda mais sua vinculação com a multiplicação dos IFs aqui no Estado. Uma marca que ajudou muito na receptividade popular ao seu nome como senadora.
REELEIÇÃO
Praticamente fechado o apoio do governador Robinson Faria ao projeto de reeleição do presidente da Assembleia, Ricardo Motta. O pai de Rafael está virtualmente reeleito como candidato único, sem adversário. Um amigo de Robinson disse ao pai de Fabio que Ricardo Motta é o melhor presidente para qualquer governador. O marido de Julianne compreendeu a realidade e apagou resquícios da campanha.
CONTRATOS
A direção da Urbana aposta firmemente na reeleição do prefeito Carlos Eduardo. A prova disso é que os contratos assinados geralmente ultrapassam o mandato do filho de Agnelo. O da limpeza, que chega perto dos R$ 400 milhões, é pelo prazo de cinco anos, começando em 2015; terminará em 2019, sendo que a atual gestão termina em 2016.
CONTRATOS II
A mesma direção da Urbana publicou contrato de R$ 700 mil para locação e manutenção de aparelhos de ar condicionados. O detalhe é que o contrato vai até 2018. Esse povo quer ir longe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário