escritório

escritório

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

ALVARINHO ADMITE QUE FOI UM ERRO XINGAR CHICO BUARQUE



'Eu não falei nada. Percebi uma confusão e fui ver o que era', disse Alvarinho
"Xingar o sr. Chico foi um erro", diz o estudante Alvaro Garnero Filho, o Alvarinho, que estava entre os jovens antipetistas que se envolveram em uma discussão com o cantor Chico Buarque na noite de segunda (21). O jovem de 19 anos nega ter participado do bate-boca com o compositor.
"Eu não falei nada. Percebi uma confusão e fui ver o que era. Eu só conhecia os meninos envolvidos por meio de amigos em comum. Eu acho que o sr. Chico é uma pessoa mais velha e merece respeito. A cena em um local público foi desnecessária. Todo mundo tem direito a ter opinião e não ser hostilizado por isso".
O estudante diz que chegou a perguntar a um garçom do restaurante quem era o "senhor envolvido na discussão". "Eu estava só olhando, mas como sou alto, chamo atenção. Também acho que alguém pode ter me reconhecido e me filmado só pra dar mais polêmica à situação".
Alvarinho, que mora há 18 anos fora do País, e é filho do empresário e apresentador Alvaro Garnero, afirma estar recebendo ameaças depois do episódio. "Fui ao shopping comprar presentes de Natal e fui xingado. Também recebi uma ligação anônima com ameaças". Segundo o estudante, sua mãe e avó estão preocupadas com sua segurança e querem que ele retorne a Londres, onde vive.
"Acho muito desagradável tudo isso bem na hora do Ano Novo. Se meus pais decidirem, terei que voltar. Foi uma coisa de hora e lugar errados. Estou me sentindo culpado sem ter feito nada."
O jovem afirma que "não tinha ideia" que o compositor Chico Buarque era simpatizante do PT e se declara neutro politicamente. "Não sinto que tenho base para opinar corretamente sobre a política brasileira. Só quero que o Brasil melhore", explica.

DIÁRIO DO NORDESTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário