escritório

escritório

terça-feira, 26 de abril de 2016

RN: ANÁLISE POLÍTICA POR NEY LOPES

Do editor
Quem analise o quadro político-administrativo do estado estará totalmente enganado, se imaginar que o Governador Robinson Faria (RN) esteja numa encruzilhada política, caso rejeite juntar-se politicamente ao PMDB e ao PSDB.
Quem “manipula” a palavra “união” e se diz agregador (sempre invocando o nome do RN), parte de princípio falso do irreversível fortalecimento político das lideranças estaduais peemedebistas e tucanas, com a ascensão de Michel Temer à presidência.
Grupos “iluminados”, da área econômica e política, já cercam o governador e se prontificam a  abrir caminhos para a formação do que chamam  “coligação imbatível” (não aprenderam a lição de 2014), unindo PSDB e PMDB, partidos que iriam dá “as cartas”, no Palácio do Planalto.
O raciocínio  é normal apenas para àqueles que sempre militaram no PG (Partido do Governo).
O RN está cheio desses tipos, que se espreitam nos corredores do poder e penetram nos palácios, ao primeiro sinal de abertura das portas, com digitais conhecidas.
A lealdade é manifestada, sempre ao último governante.
Engana-se com eles, quem quiser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário