escritório

escritório

segunda-feira, 25 de abril de 2016

SERRA COTADO PARA ASSUMIR MINISTÉRIO DA FAZENDA

Do Blog de Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo:
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga apoiam o nome de José Serra (PSDB-SP) para o Ministério da Fazenda.
O senador tucano, por sua vez, sinalizou a Michel Temer que aceita ocupar o cargo, desde que a pasta do Planejamento, o BNDES e o Banco Central sejam dirigidos por pessoas indicadas por ele ou que pelo menos tenham grande afinidade com as políticas que pretende adotar.
Fraga indicou o nome de Serra para Temer no jantar que teve com o vice-presidente na semana passada. Ele apontou outros candidatos, como Murilo Portugal, presidente da Febraban (Federação Nacional dos Bancos).
Mas disse que o senador tucano teria, entre suas qualidades, uma forte interlocução com o Congresso Nacional, o que seria necessário para aprovar reformas impopulares.
A afirmação foi feita na frente do presidente do PSDB, Aécio Neves (PSDB-MG), que é contra a participação da legenda no governo. As observações de Fraga vão contra o senso comum de que Serra é rejeitado pelo mercado financeiro, o que teria levado Temer a descartar o nome dele para o cargo.
FHC fez análise parecida à de Fraga a interlocutores. Segundo disse, Serra teria força e aliados no Congresso, condição hoje essencial para superar a crise, que seria mais política do que econômica.
Ainda que o PSDB aprove, em reunião no próximo dia 3, decisão de não participar diretamente do governo, dificilmente seus deputados e senadores votariam contra propostas encaminhadas por Serra ao parlamento.
Senadores do PSDB ouvidos pela Folha afirmaram na semana passada que só apoiariam o governo Temer caso ele nomeasse Serra para a Fazenda. “Não aceitaremos papel periférico”, disse um deles.
Serra e Temer se reuniram ontem no Palácio do Jaburu, em Brasília.
A equipe do vice-presidente afirma que ele está apenas ouvindo pessoas, sem formalizar qualquer convite para integrar a equipe de seu eventual futuro governo. No sábado, Temer recebeu Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central no governo Lula e também apontado como candidato ao cargo.
Ainda que não confirme Serra na Fazenda, o vice pretende abrigá-lo em um cargo importante. Os dois são amigos pessoais. Além disso, Temer reconhece a importância de Serra na articulação pelo impeachment.


z

Nenhum comentário:

Postar um comentário