escritório

escritório

quinta-feira, 11 de maio de 2017

JOGADOR JOÃO PAULO É DESTAQUE EM REPORTAGEM DO "AGORA RN"

O Rio Grande do Norte é um celeiro de craques. Daqui saíram grandes jogadores que brilharam no futebol brasileiro, sul-americano e até mesmo mundial. Os exemplos são muitos, e como principais podemos listar Márcio Mossoró, natural da cidade que leva no nome e ídolo do Porto de Portugal; Sinha, que surgiu em Itajá e brilhou pela Seleção Mexicana como atleta naturalizado; e Matuzálem, natalense de nascença e que construiu carreira vitoriosa na Itália. Todos eles são atletas que, hoje, ainda estão em atividade, muito embora já com a idade considerada ‘avançada’ para o futebol.
Felizmente, o RN não deixou de produzir grandes jogadores após o final dos anos 90, período que os três listados acima iniciaram suas caminhadas no futebol profissional. De 2007 até aqui, por exemplo, muitos atletas romperam a barreira nordestina e foram brilhar Brasil à fora, são os casos do macaibense Wallyson (passagens por Cruzeiro, São Paulo e Botafogo), do arezense Judson (hoje no Avaí), do natalense Rodriguinho (Corinthians) e do também natalense João Paulo, personagem principal desta matéria e que hoje defende o Ludogorets Razgrad, maior clube do futebol da Bulgária.
Graças ao avanço da tecnologia, a reportagem do Agora Jornal conseguiu contato direto com ‘João do Gol’. Revelado pelo ABC em meados de 2008/2009, o atleta, hoje com 29 anos, vem se destacando como pode no elenco do Ludo, treinado pelo búlgaro Georgi Dermendzhiev. Até agora, desde que chegou ao clube, já marcou 20 gols. Foram 13 tentos assinalados na Parva Liga (a primeira divisão do Campeonato local) e outros 7 na Copa Búlgara (uma espécie de Copa Nacional, como a do Brasil). Os gols vêm credenciando o potiguar a, cada vez, aumentar seu espaço na equipe e chegar a titularidade fixa.
Antes de rumar para a Bulgária, o último clube brasileiro de João Paulo foi a Ferroviária-SP. Lá, jogou o Campeonato Paulista, um dos grandes centros dos torneios estaduais do país, que lhe credenciou a proposta europeia, à época do Botev Plovdiv. “Era uma oportunidade única, conservei com minha família e tomamos a decisão de partir. Graças a Deus deu tudo certo”. A comemoração do atacante é compreensível: após marcar gols e ser um dos principais jogadores do Botev, ele recebeu a proposta do Ludogorets, onde agora tem a chance de disputar grandes competições do continente.
João Paulo (ao centro) comemora título do Campeonato Búlgaro com 5 rodadas de antecedência (Foto: Divulgação / Ludogorets Razgrad)
Recentemente, o Ludo conquistou a Parva Liga com nada menos do que cinco rodadas de antecedência. Foi o primeiro título de João Paulo no país. Para que a reportagem pudesse ter dimensão da importância do feito, o ex-camisa 11 do ABC fez questão de explicar: “O título antecipado da Parva nos deu a condição de disputar a fase preliminar da próxima Liga dos Campeões. Se a gente conseguir passar, chegaremos à fase de grupos”. A fase apontada como objetivo do clube por João Paulo é onde, para muitos, a ‘Champions’ começa de maneira oficial.
“Lembro que jogava vídeo-game e sempre sonhei em escutar, presencialmente, a música de entrada dos times na Liga dos Campeões. Agora vejo que isso pode se tornar realidade para mim. Disputar grandes competições sempre foi e sempre será o objetivo de qualquer atleta profissional. Espero ter o sucesso desejado”, disse o atacante, que ainda chegou a acompanhar a participação da sua equipe na Liga Europa 2016/2017, segunda maior competição de clubes do continente, mas viu o time ser eliminado para os dinamarqueses do Copenhague após a somatória de dois duelos.
Na atual temporada, o Ludogorets Razgrad alcançou a fase de grupos da UEFA Champions League, objetivo da próxima época. O clube búlgaro foi incluso, após passar das eliminatórias, no Grupo A do torneio e mediu forças com os gigantes Paris Saint-Germain (França) e Arsenal (Inglaterra), além do FC Basel (Suíça). Contudo, o desempenho não foi dos melhores: em seis jogos, empatou três e perdeu três, ficando na terceira colocação da chave, à frente apenas da equipe suíça. Agora, espera alcançar de novo esta etapa da Liga, desta feita para ter um rendimento melhor.
Muito embora tenha um alto número de gols, João Paulo ainda não é titular da equipe. Para ‘justificar’ a situação, o atacante falou de seus companheiros e concorrentes no ataque. Um deles é o remeno Claudiu Keșerü, que veste a camisa 28 e é a principal referência do setor ofensivo da equipe. “Estou com contrato de três anos e um de meus objetivos neste período é chegar na titularidade. Desde que cheguei sempre soube que seria complicado pois temos grandes nomes. O Claudiu é titular da Seleção da Romênia e o Jonathan Cafu também é muito bom. Espero que em algum momento eu consiga me tornar titular”, concluiu o potiguar.
Além de João, o atual elenco do Ludogorets conta com outros nove jogadores brasileiros, são eles o goleiro Renan (ex-Botafogo-RJ); o lateral-direito Cicinho (ex-Santos-SP); o lateral-esquerdo Natanael (ex-Atlético-PR); os volantes Lucas Sasha (ex-Corinthians-SP) e Gustavo Campanharo (ex-Bragantino-SP); os meias Marcelinho (ex-São Caetano-SP) e Wanderson (ex-Portuguesa-SP); e os atacantes Juninho Quixadá (ex-Bragantino-SP) e Jonathan Cafu (ex-São Paulo-SP). A equipe lidera a Parva Liga com 75 pontos (já com o título antecipado assegurado) e está na final da atual edição da Copa Búlgara, onde enfrentará o Botev na grande decisão, ex-clube de João no país europeu.
Confira abaixo a entrevista completa de João Paulo ao Agora Jornal:
01) Como tem sido a vida na Bulgária? Qual o maior desafio?
JP: Está sendo ótima. Antes, quando eu estava jogando pelo Botev, morávamos em uma cidade muito boa chamada Plovdiv, uma das maiores do país. Agora, no novo clube, a cidade e muito pequena. Estou morando em Razgrad. Mas é tudo muito bacana.

02) Inicialmente, você jogou no Botev. Qual avaliação que você faz da sua passagem neste clube?
JP: Minha passagem pelo Botev foi ótima. Foi lá que consegui fazer bons jogos e alguns gols que me deixaram entre os artilheiros da Liga. Marquei 12 gols na Parva Liga e 4 gols na Copa Búlgara. A partir daí começaram a surgir propostas de outros clubes aqui da Bulgária e da Turquia também, mas optei pelo Ludogorets.

03) O Ludogorets é uma das principais equipes do país e sempre disputa as grandes competições da Europa. Qual tem sido o calendário do clube desde que você chegou?
JP: Quando cheguei ao Ludogorets o time estava em pré-temporada para a reta final do Campeonato Búlgaro e iria disputar a Liga Europa. Infelizmente não conseguimos passar pelo Kopenhagen da Dinamarca (eliminação na segunda fase do torneio europeu).

04) Faz parte do seu planejamento disputar uma Liga dos Campeões?
JP: O título Búlgaro deste ano já nos dá o direito de disputar a pré-Champions e também a Liga Europa. Para mim será uma ótima oportunidade poder jogar uma competição como a Liga dos Campeões.

05) Recentemente, o Ludogorets conquistou um título. Como foi a caminhada?
JP: Eu peguei o trem andando (risos). Quando cheguei já estávamos no meio da temporada, conheci o time todo na pré-temporada que fizemos na Turquia, foi aí que começamos a nos focar na reta final do Campeonato Búlgaro e conseguimos ser campeões com 5 rodadas de antecedência.

06) Ao que você atribui o sucesso deste título?
JP: Vem da união e a entrega de cada um de nossos jogadores. Somos 10 brasileiros, isso nos ajuda muito na adaptação por aqui, as vezes nem parece que estamos jogando fora do nosso país. Creio que isso é um ponto forte em nossa equipe e nos ajudou na conquista do título.

07) Quais os seus planos para as próximas temporadas?
JP: Conquistar a vaga de titular da equipe. Quando cheguei aqui, sabia que não seria fácil jogar, uma vez que temos os melhores atacantes da liga Búlgara, como por exemplo o Jonathan Cafu (ex-São Paulo) e o Claudiu, que é o atacante titular da Seleção da Romênia. Estou trabalhando forte para estar pronto quando minha hora chegar.

08) Você ainda sonha em jogar num grande centro europeu?
JP: Todo jogador sonha em jogar em um grande centro e comigo não é diferente. Porém, hoje minha cabeça está voltada ao Ludogorets. Vamos disputar competições de grande visibilidade e é isso que todo jogador pensa. Eu mesmo sempre sonhei jogando vídeo game e escutando a música de entrada dos times na Champions, agora vejo que isso pode se tornar realidade para mim.

09) Qual a principal meta de João Paulo hoje?
JP: ajudar ao máximo a minha equipe, poder contribuir com gols e fazer bons jogos nas competições que disputaremos. Quero poder ficar aqui até o final do contrato e quem sabe até mesmo fazer uma renovação. Mas hoje não foco nisso, vou pensar só mais na frente pois ainda tenho 2 anos e meio de contrato para cumprir.

10) Após conhecer o futebol da Europa, qual a visão que você tem do futebol brasileiro hoje?
JP: Creio que não tem muita diferença nos jogos, mas em termos de treinamento e preparação vejo que no Brasil se treina muito mais forte que aqui. De modo geral, não vejo uma grande diferença entre o nosso futebol com o futebol europeu.

11) O que falta ao futebol brasileiro para se equiparar ao europeu?
JP: Como falei anteriormente, acho que não há uma grande diferença, mas vejo que poderia, no Brasil, haver uma maior valorização nas competições estaduais e nas séries B e C, que foram as que joguei. Muita coisa ainda precisa mudar nelas, mas creio que não está muito distante essa adequação parar melhorar o futebol do país.

12) Como você deixou o Brasil para jogar na Bulgária? Triste, feliz?
JP: Eu vim para Bulgária quando estava disputando o Campeonato Paulista pela Ferroviária de Araraquara. Quando surgiu a proposta eu resolvi, juntamente com minha família, vir com contrato de 1 ano e ver o que tinha para dar. Graças a Deus correu tudo bem e hoje estou num grande clube, para muitos o maior do país no momento.

13) Qual a avaliação que você faz da sua última passagem no ABC?
JP: Foi um dos piores momentos da minha carreira. Estava jogando no clube que me formou para o futebol e simplesmente os diretores que na época comandavam o clube me mandaram embora sem dar satisfação. Pior que não joguei, lembro que foram só 3 jogos pelo Estadual como titular e 4 gols marcados, sempre ficando no banco ou fora das relações. Depois fui emprestado para o Botafogo da Paraíba e joguei a Série C. Apesar de tudo, isso não apaga as conquistas e a admiração que sempre tive pelo clube, nunca escondi isso de ninguém.

14) Ainda pretende retornar ao país para jogar profissionalmente ou quer construir a carreira no exterior?
JP: Sonho em poder disputar uma Série A, mas costumo dizer que o futuro a Deus pertence. Se for da vontade dele ficar por aqui será ótimo financeiramente e profissionalmente para mim, mas penso em voltar a vestir a camisa do ABC novamente pois é o clube que sempre torci quando pequeno e tive a oportunidade de jogar e ser campeão brasileiro em 2010.


Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário