quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

NOVO TREINADOR DO AMÉRICA FOI APRESENTADO


Pache

Na coletiva de apresentação do treinador Pachequinho, ele falou sobre a chegada ao América e sobre o que pretende fazer a partir da próxima segunda-feira, quando assume de fato o comando da equipe rubra.

Primeiro turno: ” Enquanto o América tem reais, tudo pode acontecer mas o América tem que fazer a parte dele e vencer o jogo. Conversei muito com o Júlio Terceiro e com a diretoria e ele vai concluir. Já conversei com os atletas que o Júlio tem total liberdade e sabe das necessidades de momento, fiquei à vontade de deixar o Julio comandar neste jogo e eu assumir na segunda-feira. Mas o América tem total liberdade para conquistar esse turno. Quero acompanhar o jogo de sábado e ver se tem necessidade de contratações. Pensado a longo prazo penso que temos que pensar em contratações, pensando já na Série D”.

Jogo contra o Globo:” Nós podemos ser surpreendidos. Será que vou propor o jogo e não corro o risco de perder?  Eu já disse aqui, o Corinthians no ano passado não propunha jogo e foi campeão. O que nós temos que entender é que o América está jogando em casa, tem obrigação de jogar bem, de buscar a vitória e dentro disso nós vamos ver o que é melhor, se fazer mais gols, se vencer e segurar, o objetivo maior é vencer a partida”.

Cobranças e pressão: ” A cobrança vai ser muito em cima do que a equipe apresentar. Eu sei que a equipe e principalmente a torcida cobra muito o que é natural e nós viemos para fazer um grande futebol no América. O América em algum momento tem que aprender a sofrer, nem sempre as equipes conseguem ter o jogo todo na mão. Aqui no Nordeste se cria muito a situação que a equipe tem que ser muito ofensiva, mas hoje se vê que as equipes precisam de equilíbrio. A pressão vai vir se o time não jogar bem, mas não estou preocupado com pressão”.

Mudanças: ” Todo trabalho requer um tempo, é natural a transição leve um tempo para o atleta entender a maneira que você gosta de trabalhar. Aos poucos vamos tentar colocar aquilo que eu penso em nível de modelo de jogo mas sem prejudicar aquilo que eles estão acostumados. Não significa que está tudo errado, algumas coisas certas a gente vai manter colocando a nossa filosofia e nosso jeito de trabalhar. Hoje não estou aqui para dizer onde o América falhou mas começar um trabalho para o futuro do América

Convicção e cobranças: ” Não estou pensando no meu emprego, mas no meu trabalho. tenho minhas convicções e quero e exigo que os atletas façam o que está determinado. Vim para buscar conquistas e o caminho é trabalhar convicto”.

MARCOS LOPES

Nenhum comentário:

Postar um comentário