quinta-feira, 31 de maio de 2018

A POLÍTICA CRIMINOSA NA PETROBRÁS

A verdade sobre a política criminosa de preço da Petrobrás está na coluna de Cláudio Humberto hoje, 31:


LEIA:

Não haveria greve se a ganância fosse menor


Os custos para acabar a greve dos caminhoneiros, estimados em R$10 bilhões, correspondem a apenas 30% do lucro previsto pela Petrobras para 2018, de cerca de R$30 bilhões.


Se a ganância da estatal fosse um terço menor, não haveria greve: seu lucro somou R$7 bilhões em três meses (janeiro a março), garantido pelos aumentos quase diários dos combustíveis que fizeram os caminhoneiros parar o País.


O lucro bilionário da Petrobras serve para pagar dividendos a acionistas.


Mas o maior acionista fica de fora: o povo brasileiro.

Assim é mole


O lucro da Petrobras não decorre de eficiência, mas da dolarização criminosa dos combustíveis.


A estatal é campeã de ineficiência.

Prejuízo duvidoso


Em 2017, o lucro operacional da Petrobrás foi de mais de R$ 5 bilhões, mas a estatal registrou como “prejuízo” o acordo bilionário nos EUA.

Acionista esquecido


O lucro bilionário da Petrobras serve para pagar dividendos a acionistas.


Mas o maior acionista fica de fora: o povo brasileiro.

Assim é mole


O lucro da Petrobras não decorre de eficiência, mas da dolarização criminosa dos combustíveis.


A estatal é campeã de ineficiência.

Prejuízo duvidoso


Em 2017, o lucro operacional da Petrobrás foi de mais de R$ 5 bilhões, mas a estatal registrou como “prejuízo” o acordo bilionário nos EUA.

Política de conveniência


As cinco reduções de preço em oito dias de greve de caminhoneiros, enquanto dólar e o barril subiam, apenas mostra que a dolarização dos combustíveis nada tem de “técnica”.


A Petrobras aumenta ou diminui preços de acordo com os seus interesses.


Financeiros ou políticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário