segunda-feira, 17 de junho de 2019

FOTO: GREVE DE POLICIAIS

FOTO DO G1

FOTOS: SÃO JOÃO EM NATAL



SÃO TOMÉ: I CAVALGADA DAS SERRAS

Postagem de Babá Pereira no facebook:

"Nos dias 14 e 15 de junho, foi realizada a I Cavalgada das Serras. Iniciada em Santa Izabel no município de Caiçara do Rio do Vento, passando pelo Bonfim município de Lajes do Cabugi e chegando ao nosso município pela Serrinha, percorrendo Serra do Lameiro, Mundo Novo, Pedra Preta de cima e de baixo, Riacho Verde, Barreiros e chegada na sede da nossa cidade. Na oportunidade, para que todos pudessem conhecer nossas belezas naturais, fiz questão de apresentá-las pessoalmente. Parabéns aos organizadores do evento."















RN: POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS INICIAM PARALISAÇÃO DAS ATIVIDADES


Os policiais militares e bombeiros iniciam nesta segunda-feira, 17, paralisação das atividades. As categorias profissionais exigem recomposição das perdas salariais dos últimos cinco anos. Representantes das associações de praças e oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte apontam que o déficit é de 60,48%.

Na última sexta-feira, 14, o Governo do Estado propôs a criação de um Grupo de Trabalho para reestruturação de carreiras da Polícia Militar visando, em um processo gradual, corrigir distorções com relação a outras carreiras da área da Segurança Pública. No entanto, a medida não foi acatada pelas categorias profissionais.

Nesta segunda-feira, a partir das 8h, os policiais militares e bombeiros farão uma manifestação em frente à Governadoria do Estado.

O secretário Aldemir Freire pontuou que o Governo do Estado prioriza o pagamento da Polícia Militar e de todos os agentes de segurança pública do Rio Grande do Norte, quitando os salários integrais dentro do mês trabalhado e sempre na primeira data marcada pela equipe econômica.

“Estamos pagando a todos da segurança pública, ativos e inativos, em meados do mês. É um esforço grande para honrar o acordo, assim como para manter a Polícia na rua com o pagamento das diárias operacionais. São R$ 3 milhões por mês somente com diárias”, destacou o titular da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan).

AGORA / RN

VÍDEO: SAMPAIO CORRÊA 1X0 ABC


RN: ASSEMBLEIA DO SINPOL


RN: GREVE NA SAÚDE


No chamado dia da "greve geral", na última sexta-feira (14), o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Rio Grande do Norte (Sindsaúde-RN) aprovou uma paralisação estadual, que ocorrerá no próximo dia 28. No mesmo dia, será realizado um ato público em frente à Governadoria. 

Os protestos foram aprovados pelos sindicalistas como forma de "cobrar o pagamento dos salários atrasados e contra o desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS) por parte do governo Fátima Bezerra (PT)", conforme divulgado pelo Sindsaúde.

O Sindsaúde também aprovou a realização de atividades ainda neste mês de junho nos hospitais Giselda Trigueiro, João Machado, Deoclécio Marques e no Hospital Regional de Canguaretama.

Grande Ponto

sábado, 15 de junho de 2019

O "SHOWZINHO" SUPOSTAMENTE CITADO POR MORO

Depois do interrogatório de Lula sobre o triplex, em 10 de maio de 2017, Sergio Moro sugeriu que a Lava Jato emitisse uma nota oficial para rebater o “showzinho” da defesa.

É o que consta de uma mensagem roubada à Lava Jato.

A mensagem foi enviada às dez da noite. Lula havia acabado de participar de um showzinho para cinco mil militantes petistas, reunidos em Curitiba – e não um showzão, como se previa. No palco, Lula havia acusado a Lava Jato de fabricar mentiras para condená-lo e anunciado que estava se “preparando para voltar a ser candidato a presidente da República”.

A estratégia da defesa de Lula sempre foi essa: alegar que Sergio Moro e a Lava Jato o perseguiam apenas para impedir sua candidatura. Ao sugerir que a Lava Jato emitisse uma nota oficial, esclarecendo os fatos, Sergio Moro evidentemente tentava evitar que o julgamento saísse do terreno das provas e fosse contaminado pela batalha política.

O showzinho da ORCRIM continua.




O ANTAGONISTA

RN: FÁTIMA DECIDIU ENCERRAR O COMITÊ DE NEGOCIAÇÃO SALARIAL

A governadora Fátima Bezerra (PT) decidiu encerrar o comitê de negociação salarial, grupo que reunia representantes dos principais sindicatos de servidores do Rio Grande do Norte e vários secretários estaduais da atual administração. O objetivo inicial de criação do colegiado era discutir a elaboração do calendário de pagamento dos vencimentos do funcionalismo público estadual para o exercício de 2019.


A decisão assinada pelo secretário chefe da Casa Civil, Raimundo Alves, revogando a portaria 109 que criou o comitê está no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (14), mesmo dia em que os sindicatos convocaram atos em protesto contra a reforma da Previdência em todo o país, no que eles estão chamando como "greve geral".


O Comitê de negociação nasceu a partir da "necessidade de promover a democratização das relações de trabalho e a valorização dos serviddores públicos por meio da negociação coletiva permanente", conforme explicava o próprio Raimundo na portaria que agora perde a validade.


Conforme o texto origial, o grupo era formado por representantes da Secretaria de Planejamento, Tributação e Administração, além das entidades SINDIFERN, SINTE-RN, SINSP, SINDSAÚDE, SINPOL, SINDASP e SINAI. Inicialmente, a coordenação dos trabalhos desta Comissão ficaria a cargo do representante da Secretaria de Planejamento. 

O Gabinete Civil do Governo do Estado informou ao GRANDE PONTO que o fim do Comitê de negociação salarial foi um pedido do próprio Fórum de Sindicatos durante o último encontro das entidades com membros da administração estadual. Os sindicalistas teriam explicado não haver necessidade da permanência do Comitê, diante da mesa permanente de negociação criada pelo Governo. Como a criação do Comitê também foi um pedido do Fórum, o Governo aceitou encerrar o colegiado. 

GRANDE PONTO

SITE DIVULGA OUTRO TRECHO DO CHAT PRIVADO ENTRE MORO E PROCURADOR

Um trecho do chat privado entre Sergio Moro e o então procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima mostra que o ex-juiz pediu aos procuradores da Lava Jato uma nota à imprensa para rebater o que chamou de “showzinho” da defesa de Lula após o depoimento do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá. O conteúdo faz parte do arquivo As mensagens secretas da Lava Jato.

Os procuradores acataram a sugestão do atual ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, em mais uma evidência de que Moro atuava como uma espécie de coordenador informal da acusação no processo do triplex. Em uma estratégia de defesa pública, Moro concedeu uma entrevista nesta sexta-feira ao jornal o Estado de S. Paulo onde disse que considera “absolutamente normal” que juiz e procuradores conversem. Agora, está evidente que não se trata apenas de “contato pessoal” e “conversas”, como diz o ministro, mas de direcionamento sobre como os procuradores deveriam se comportar.

Eu topo

Juntamente com as extensas evidências publicadas pelo Intercept no início desta semana – em que Moro e Deltan conversam sobre a troca da ordem de fases da Lava Jato, novas operações, conselhos estratégicos e pistas informais de investigação –, esta é mais uma prova que contraria a tentativa de Moro de minimizar o tipo de relacionamento íntimo que ele teve com os promotores.

Ao contrário da defesa de Moro de que as comunicações eram banais e comuns – contendo apenas notícias e informações, mas não ajudando os promotores a elaborar estratégias (“existia às vezes situações de urgência, eventualmente você também está ali e faz um comentário de alguma coisa que não tem nada a ver com o processo”, disse ao Estadão) –, essas conversas provam que Moro estava sugerindo estratégias para que os procuradores realizassem sua campanha pública contra o próprio réu que ele estava julgando.

O showzinho da defesa

O episódio ocorreu em 10 de maio de 2017, quando Moro já presidia um processo criminal contra o ex-presidente no caso do “apartamentro triplex do Guarujá”. Eram 22h04 quando o então juiz federal pegou o celular, abriu o aplicativo Telegram e digitou uma mensagem ao Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal em Curitiba.

“O que achou?”, quis saber Moro. O juiz se referia ao maior momento midiático da Lava Jato até então, ocorrido naquele dia 10 de maio de 2017: o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele era acusado – e pelo qual seria preso – de receber como propina um apartamento triplex no Guarujá. Disponibilizado em vídeo, o embate entre o juiz e o político era o assunto do dia no país.
Seguiu-se o seguinte diálogo:

 

Além do depoimento, outro vídeo com Lula também tomava conta da internet e dos telejornais naquele mesmo dia. Depois de sair do prédio da Justiça Federal, o ex-presidente se dirigiu à Praça Santos Andrade, em Curitiba, e fez um pronunciamento diante de uma multidão. Por 11 minutos, Lula atacou a Lava Jato, o Jornal Nacional e o então juiz Sergio Moro; disse que estava sendo “massacrado” e encerrou com uma frase que entraria para sua história judicial: “Eu estou vivo, e estou me preparando para voltar a ser candidato a presidente desse país”. Era o lançamento informal de sua candidatura às eleições de 2018.

Um minuto depois da última mensagem, Moro mandou para o procurador Santos Lima:


Moro, o juiz do caso, zombava do réu e de seus advogados enquanto fornecia instruções privadas para a Lava Jato sobre como se portar publicamente e controlar a narrativa na imprensa.

As afirmações do então magistrado que o Intercept divulga agora contradizem também o que ele dissera horas antes a Lula, naquele mesmo dia do julgamento, publicamente, ao iniciar o interrogatório do petista: que o ex-presidente seria tratado com “todo o respeito”.

“Eu queria deixar claro que, em que pesem alegações nesse sentido, da minha parte não tenho nenhuma desavença pessoal contra o senhor ex-presidente. Certo? O que vai determinar o resultado desse processo no final são as provas que vão ser colecionadas e a lei. Também vamos deixar claro que quem faz a acusação nesse processo é o Ministério Público, e não o juiz. Eu estou aqui para ouvi-lo e para proferir um julgamento ao final do processo”, disse Moro.

“PQ RESOLVERAM FALAR AGORA? PQ ERA O EX-PRESIDENTE?”

Dez minutos depois da conversa com o então juiz, naquele 10 de maio, Santos Lima abriu o grupo Análise de clipping, em que também estavam assessores de imprensa do MPF do Paraná. Ele estaria em Recife no dia seguinte em um congresso jurídico.

Oito minutos depois, Santos Lima copiou a conversa que teve em seu chat privado com Moro – em que o juiz sugere a nota pública para apontar as contradições de Lula – e colou em outro chat privado, com o coordenador da Lava Jato no MPF, Deltan Dallagnol. Eram 22h38.

Àquele horário, os procuradores da força-tarefa discutiam num chat chamado Filhos de Januário 1 se deveriam comentar publicamente o depoimento de Lula. Às 22h43, Santos Lima escreveu no grupo, dirigindo-se a Dallagnol: “Leia o que eu te mandei.”. Ele se referia às mensagens que trocara com Moro. Três minutos depois, Dallagnol responderia em quatro postagens consecutivas no grupo:
Foi a vez então de Dallagnol mandar uma mensagem ao grupo Análise de clipping, dos assessores de imprensa.

O assessor de imprensa estranhou o pedido e alertou que poderia ser um “tiro no pé”.


O que os assessores não sabiam é que não era o MPF que queria influenciar o juiz, mas o juiz que estava influenciando o MPF. Três minutos antes de mandar essas mensagens ao grupo, Dallagnol havia escrito a Moro. Além de elogiá-lo pela condução da audiência, o procurador falou sobre a nota:

O pedido de Moro para apontar as contradições da defesa de Lula seria discutido no chat Filhos do Januário 1 até o fim da noite e também na manhã do dia seguinte, 11 de maio. E, finalmente, atendido.

Os procuradores, acatando a sugestão de Moro, distribuíram uma nota à imprensa, repercutida por Folha de S. Paulo, Estadão, Jovem Pan e todos os principais veículos e agências do país. As notícias são centradas justamente na palavra desejada pelo juiz: “contradições”.

Na nota, a força-tarefa expõe o que considera serem três contradições do depoimento de Lula e refuta diretamente uma alegação da defesa do petista, que os procuradores consideraram mentirosa.

Naquela noite, Dallagnol enviou uma mensagem a Moro para explicar por que não explorou a fundo as contradições do petista:


A RESPOSTA DO MINISTRO MORO AO INTERCEPT BRASIL

Nós procuramos a assessoria do ministro Sérgio Moro nesta sexta-feira e apresentamos com antecedência todos os pontos mostrados nesta reportagem. Recebemos como resposta a seguinte nota: “O Ministro da Justiça e Segurança Pública não comentará supostas mensagens de autoridades públicas colhidas por meio de invasão criminosa de hackers e que podem ter sido adulteradas e editadas, especialmente sem análise prévia de autoridade independente que possa certificar a sua integridade. No caso em questão, as supostas mensagens nem sequer foram enviadas previamente.”

Apesar de chamar as conversas de “supostas”, Moro admitiu, hoje, a autenticidade de um chat. Em uma coletiva, ele chamou de “descuido” o episódio no qual, em 7 de dezembro de 2015, passa uma pista sobre o caso de Lula para que a equipe do MP investigue.

Nós também entramos em contato com a assessoria do Ministério Público Federal do Paraná, que não respondeu.
Intercept Brasil

GREVE GERAL NÃO SURTIU O EFEITO DESEJADO

A greve geral contra a reforma da Previdência, convocada pelas centrais sindicais, teve atos registrados em praticamente todos os Estados. Mas, sem a adesão maciça dos trabalhadores dos setores de transporte, os efeitos acabaram sendo localizados. Em São Paulo, por exemplo, os ônibus e os trens metropolitanos funcionaram normalmente durante todo o dia. Apenas o metrô teve parte das operações paralisadas.

Na avaliação do cientista político Rafael Cortez, a greve é um movimento relevante como termômetro do poder de mobilização da oposição, mas não deve ter nenhum efeito prático em relação à votação da reforma da Previdência. “A greve é relevante, mas não trouxe algo de diferente do que já estava contabilizado tanto para a imagem do governo quanto para o cálculo de custo/benefício que os legisladores fazem (ao votar contra ou a favor de algum projeto)”, disse. Por isso, afirma Cortez, não deve significar algum impeditivo para o prosseguimento da agenda econômica do governo, sobretudo para a Previdência.

Para o cientista político e professor da USP Alcindo Gonçalves, a greve geral foi “bastante parcial, localizada e, de certo ponto, inoportuna”, por ocorrer no dia seguinte à apresentação do parecer do relator da reforma da Previdência na Câmara, Samuel Moreira (PSDB-SP), que contempla “uma série de desejos da oposição e das centrais sindicais”. Para Gonçalves, é “discutível” a decisão de manter a greve durante esse processo de negociação.

“Greves gerais precisam ser convocadas em situações muito cuidadosas”, disse Gonçalves. “Da maneira como as paralisações de hoje (sexta-feira) estão acontecendo, como se fosse um grande movimento sindical, a greve passa a gerar antipatia e revolta das pessoas impedidas de trabalhar e de se locomover.”

As centrais sindicais, porém, avaliaram que a greve geral foi um sucesso. Para o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Pattah, o movimento demonstrou a união das centrais sindicais, em um momento em que o País conta com milhões de desempregados e desalentados. “Queríamos colocar as demandas nacionais, de busca de geração de emprego e crescimento econômico.”

Já o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, será feita uma manifestação ainda maior “se o governo não desistir dessa proposta injusta para a Previdência”.

ESTADÃO CONTEÚDO

DO BLOG: Em Natal os transporte público tirando algumas horas do dia praticamente funcionou normalmente e de fato o publico foi bem menor do que os organizadores achavam.

BLOG DO BG

VÍDEO: BRASIL 3X0 BOLÍVIA


sexta-feira, 14 de junho de 2019

AMERICA-PE SERÁ O NOVO ADVERSÁRIO DO AMÉRICA-RN NA SÉRIE D

Como era esperado, o Bahia de Feira foi julgado e pela maioria dos votos acabou sendo punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na manhã desta sexta-feira (14) com a perda de três pontos por conta de uma escalação irregular do jogador Edimar e está fora do Campeonato Brasileiro da Série D. O clube feirense também foi multado em R$ 1.000,00. Com isso, o América-PE – que terminou como 3º colocado no grupo – fica com a vaga e enfrentará o América-RN na segunda fase com as datas ainda a serem confirmadas pela CBF. Lembrando que ainda cabe recurso.

Futebol Baiano

NOVO MINISTRO TEM RAIZES NO RIO GRANDE DO NORTE

O General Carlos Alberto dos Santos Cruz decidiu nesta quinta-feira (13), que deixará o comando da Secretaria de Governo.

Será substituído pelo também General Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, filho de Arthur Batista Filho, natural de Timbaúba dos Batistas.

O novo Ministro possui uma relação próxima com o Seridó, Timbaúba dos Batistas e Caicó, onde moram vários primos.

HEITOR GREGÓRIO

NATAL: FROTA DE EMERGÊNCIA DA GUANABARA FOI LIBERADA

Após intensa negociação, ônibus da empresa Guanabara são liberados para trafegar em frota de emergência. Policia Militar garantiu o acesso aos motoristas que se apresentaram para trabalhar.

 
Fotos: cedidas

BLOG DO BG

CHARGE


SÃO TOMÉ: ARRAIÁ DO PROGRAMA "ACORDANDO O SERTÃO"


NATAL: ALERTA DE CHUVA

Por Robson Pires, em



A chuva forte deve continuar ao longo da sexta-feira (14). De acordo com o site Climatempo, o período de maior intensidade na precipitação deve ser pela manhã.

“Na região de Natal, a chuva se intensificou na tarde de quinta-feira e prossegue pela madrugada e manhã da sexta-feira, 14, devendo enfraquecer durante a tarde da sexta”, informou o site.

PRINCIPAIS MUNDANÇAS NO RELATÓRIO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Com economia prevista de R$ 1,13 trilhão em 10 anos, o relatório da reforma da Previdência, apresentado hoje (13) na comissão especial da Câmara dos Deputados, começará a ser debatido na próxima terça-feira (18). A data de votação na comissão ainda não está definida.

O relator da proposta de emenda à Constituição (PEC), deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) fez diversas mudanças em relação à proposta original enviada pela equipe econômica no fim de fevereiro. As alterações reduziriam a economia para R$ 913,4 bilhões até 2029. No entanto, o deputado decidiu propor a transferência de 40% de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para a Previdência Social, o que reforçaria as receitas em R$ 217 bilhões, resultando na economia final de R$ 1,13 trilhão, próximo da economia inicial de R$ 1,23 trilhão estipulada pela área econômica.

A retirada de diversos pontos na comissão especial havia sido acertada quando o texto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, como a antecipação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) ou o aumento da idade mínima para trabalhadoras rurais.

Outros itens foram alterados após negociações com parlamentares, como a redução do tempo mínimo de contribuição para as mulheres, a retirada da capitalização (poupança individual de cada trabalhador) e a exclusão dos estados e dos municípios da reforma, com a possibilidade de reincluir os governos locais por meio de destaques.

Confira as principais mudanças no relatório

Idade mínima para trabalhador urbano:

– Proposta do governo: a idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens após o período de transição, com tempo mínimo de contribuição de 20 anos para ambos os sexos.

– Relatório: idades mínimas mantidas, com tempo de contribuição de 20 anos para homens e 15 anos para as mulheres.

Regra de transição:

– Proposta do governo: no Regime Geral de Previdência Social (RGPS), que abrange os trabalhadores do setor privado, a PEC prevê três regras de transição para o setor privado: sistema de pontos por tempo de contribuição e por idade, aposentadoria por tempo de contribuição para quem tem pelo menos 35 anos de contribuição (homens) e 30 anos (mulheres) e pedágio de 50% sobre o tempo faltante pelas regras atuais, desde que restem menos de dois anos para a aposentadoria. Para o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), dos servidores públicos, o texto estipula um sistema de pontuação que permitiria a aposentadoria a partir dos 61 anos para homens e 56 anos para mulheres. A partir de 2022, as idades mínimas subiriam para 62 anos (homens) e 57 anos (mulheres). Nesse caso, no entanto, os servidores receberiam um valor mais baixo. Os trabalhadores públicos que entraram até 2003 precisariam trabalhar até 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) para terem direito à integralidade (último salário da ativa) e paridade (mesmos reajustes salariais dos ativos).

– Relatório: o texto acrescentou uma regra de transição que valerá tanto para o serviço público como para a iniciativa privada. Os trabalhadores a mais de dois anos da aposentadoria terão um pedágio de 100% sobre o tempo faltante para terem direito ao benefício. No caso dos servidores públicos que entraram antes de 2003, o pedágio dará direito à integralidade e à paridade.

Aposentadoria rural:

– Proposta do governo: idade mínima de 60 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, com 20 anos de tempo de contribuição para ambos os sexos.

– Relatório: mantidas as regras atuais, com 55 anos para mulheres e 60 anos para homens, incluindo garimpeiros e pescadores artesanais. Apenas o tempo mínimo de contribuição para homens sobe para 20 anos, com a manutenção de 15 anos para mulheres.

Professores:

– Proposta do governo: idade mínima de 60 anos de idade para a aposentadoria de homens e mulheres, com 30 anos de tempo de contribuição.

– Relatório: idade mínima de 57 anos para mulheres e 60 anos para homens, com definição de novos critérios por lei complementar. Regra vale para professores do ensino infantil, fundamental e médio.

Capitalização:

– Proposta do governo: Constituição viria com autorização para lei complementar que instituirá o regime de capitalização.

– Relatório: proposta retirada.

Benefício de Prestação Continuada (BPC):

– Proposta do governo: idosos de baixa renda receberiam R$ 400 a partir dos 60 anos, alcançando um salário mínimo somente a partir dos 70.

– Relatório: proposta retirada, com manutenção de um salário mínimo para idosos pobres a partir dos 65 anos.

Abono salarial:

– Proposta do governo: pagamento restrito aos trabalhadores formais que ganham um salário mínimo, contra dois salários mínimos pagos atualmente.

– Relatório: pagamento aos trabalhadores de baixa renda (até R$ 1.364,43 em valores atuais).

Pensão por morte:

– Proposta do governo: pensão por morte começaria em 60% do salário de contribuição, aumentando 10 pontos percentuais por dependente até chegar a 100% para cinco ou mais dependentes. Retirada da pensão de 100% para dependentes com deficiências intelectuais ou mentais. Apenas dependentes com deficiências físicas receberiam o valor máximo.

– Relatório: mantém nova fórmula de cálculo, mas garante pensão de pelo menos um salário mínimo para beneficiários sem outra fonte de renda. Pagamento de 100% para beneficiários com dependentes inválidos (deficiência física, intelectual ou mental) e para dependentes de policiais e agentes penitenciários da União mortos em serviço.

Salário-família e auxílio-reclusão:

– Proposta do governo: pagamento restrito a beneficiários com renda de um salário mínimo.

– Relatório: pagamento a pessoas de baixa renda (até R$ 1.364,43 em valores atuais).

Reajuste de benefícios:

– Proposta do governo: eliminava trecho da Constituição que preservava a reposição das perdas da inflação.

– Relatório: manutenção do reajuste dos benefícios pela inflação.

Estados e municípios:

– Proposta do governo: PEC valeria automaticamente para servidores dos estados e dos municípios, sem necessidade de aprovação pelos Legislativos locais.

– Relatório: retirada de estados e municípios da PEC, com a possibilidade de reinclusão dos governos locais por meio de emenda na comissão especial ou no Plenário da Câmara.

Incorporação de adicionais:

– Proposta do governo: PEC não aborda assunto.

– Relatório: extensão aos estados e municípios da proibição de incorporar adicionais por cargo de confiança ou em comissão ao salário dos servidores, vedação que existe em nível federal.

Acúmulo de benefícios:

– Proposta do governo: limite para acúmulo de benefícios a 100% do benefício de maior valor, somado a um percentual da soma dos demais, começando em adicional de 80% para um salário mínimo e caindo para 0% acima de benefícios de mais de quatro salários mínimos. Médicos, professores, aposentadorias do RPPS ou das Forças Armadas ficam fora do limite por terem exceções estabelecidas em lei.

– Relatório: altera para 10% adicional para benefícios acima de quatro salários mínimos, mantendo os demais pontos.

Encargos trabalhistas:

– Proposta do governo: possibilidade de incidir desconto para a Previdência sobre vale alimentação, vale transporte e outros benefícios trabalhistas.

– Relatório: proposta retirada.

Aposentadoria de juízes:

– Proposta do governo: PEC não abordava assunto.

– Relatório: retirada da Constituição da possibilidade de pena disciplinar de aposentadoria compulsória para juízes.

Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT):

– Proposta do governo: PEC não abordava assunto.

– Relatório: repasse de 40% das receitas do FAT para a Previdência Social, atualmente esses recursos vão para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Agência Brasil

RN: GOVERNO COMUNICOU FECHAMENTO DE LEITOS NO HOSPITAL REGIONAL DE CANGUARETAMA


Após o recuo do governo de Fátima Bezerra (PT) na decisão de fechar o Hospital Regional Dr. Ruy Pereira, os ataques aos serviços públicos de saúde ameaçam atingir o Hospital Regional de Canguaretama. De acordo com a direção da unidade, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) comunicou que haverá um redimensionamento de 40 para 20 leitos no hospital, além do fechamento de duas salas cirúrgicas e a redistribuição de servidores para outros locais.


Ainda segundo a direção, a medida poderia entrar em vigor até o início do mês de julho e o resultado seria o direcionamento de mais pacientes para os hospitais de Natal, causando superlotação, como já acontece no Hospital Walfredo Gurgel. "Os efeitos dessa decisão já estão sendo sentidos pela população, com a demora na resolução do consórcio das cirurgias eletivas, só em Canguaretama já temos mais de 700 pessoas aguardando cirurgias", afirmou Desterro dos Santos, diretora administrativa da unidade.


Diante da necessidade da população, o Sindsaúde RN se posiciona de maneira contrária ao fechamento deste ou qualquer outro hospital e unidade de saúde no Rio Grande do Norte. Com a convicção de que os processos de redimensionamento dos hospitais deveriam ser amplamente discutidos, para não serem aplicados como redução de serviços, como vêm sendo proposto. Sendo assim, o sindicato considera que o governo de Fátima Bezerra está dando continuidade a política de sucateamento do SUS e dos demais serviços públicos, aplicada pelos governos anteriores.


O Hospital Regional de Canguaretama está na lista dos sete hospitais estaduais que passariam por reestruturação dentro do Plano de Fortalecimento das Estruturas de Saúde, do Programa Governo Cidadão, divulgado em 2017. No entanto, depois de dois anos o projeto continua suspenso.

GRANDE PONTO

LULA QUESTIONA FACADA LEVADA POR BOLSONARO





O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que cumpre pena por corrupção na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), fez duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) em entrevista transmitida pela emissora TVT, ligada aos partidos de esquerda. 

Juca Kfouri, blogueiro do UOL, e o jornalista José Trajano falaram com o ex-presidente na Superintendência da PF, onde ele está preso desde abril do ano passado. Lula disse que, como resultado de sua ausência nas duas últimas eleições, "o país pariu essa coisa chamada Bolsonaro". 

Ele também questionou o ataque a faca que vitimou o então candidato em Juiz de Fora (MG). Após o episódio, Bolsonaro esteve internado e se submeteu a duas cirurgias. "Eu, sinceramente...aquela facada tem uma coisa muito estranha, uma facada que não aparece sangue, que o cara é protegido pelos seguranças do Bolsonaro", disse Lula.

GRAMDE PONTO

quinta-feira, 13 de junho de 2019

FOTOS: SÃO JOÃO EM NATAL


RN: GOVERNADORA FALTA REUNIÃO NO FÓRUM DOS SERVIDORES

A governadora Fátima Bezerra (PT) faltou a reunião que tinha agendado com o Fórum de Servidores, grupo que reúne os principais sindicatos do Estado. O encontro estava agendado para a tarde desta quarta-feira (12), mas a petista precisou permanecer em Brasília, onde cumpre compromissos desde terça-feira (11).

O furo da governadora deixou os servidores frustrados. Um grupo de manifestantes foi até a para protestar. O Fórum acabou marcando com o Gabinete Civil uma nova data para audiência com Fátima Bezerra, que ocorrerá no dia 26. 

Os sindicatos insistirão no pedido de reajuste de 16,38%, o mesmo que foi destinado a procuradores. Como forma de pressão, já organizam para a primeira quinzena de julho uma série de assembleias para votar indicativos de greves. As entidades cobram ainda um calendário de pagamento das folhas até o fim de 2019 e dos salários em atraso.

GRANDE PONTO

MEGA-SENA ACUMULADA

Por Robson Pires, em


O concurso 2.159 da Mega-Sena não teve acertadores no prêmio principal.

Os números sorteados foram: 14 – 26 – 35 – 38 – 45 – 53.

A quina – cinco números – teve 150 ganhadores, cabendo a cada um deles R$ 27,68 mil.

A quadra – quatro números – registrou 9.781 acertadores. Cada um ficará com R$ 687,24.

O próximo sorteio da Mega-Sena será no sábado (15). A previsão é de um prêmio de R$ 115 milhões.

RN: QUAL A OPINIÃO DE FÁTIMA BEZERRA?

Por Robson Pires, em

 

A governadora petista do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra apoia a greve geral convocada para amanhã (14) e apoiada pelo partido contra a Reforma da Previdência?

Ela vai para às ruas?

É somente uma pergunta.

MORO É OVACIONADO EM JOGO DO FLAMENGO

MORO BOLSONARO
O presidente Jair Bolsonaro fez novamente um gesto de apoio ao ministro da Segurança Pública, Sérgio Moro, durante o jogo entre CSA e Flamengo nesta quarta-feira, 12, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Os dois foram recebidos com aplausos por parte dos torcedores.

O presidente levantou a mão do ministro, enquanto parte da torcida gritava o nome de Moro. O ministro retribuiu apontando para o presidente. Mais cedo, o porta-voz da Presidência afirmou que relação entre Bolsonaro e Moro é de ‘camaradagem e confiança’.


O presidente já o condecorou publicamente o ministro com a medalha do Ordem do Mérito Naval e os dois almoçaram juntos nesta quarta-feira. Bolsonaro, no entanto, se recusa a comentar sobre a situação do subordinado. Ontem, após evento na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Bolsonaro interrompeu uma entrevista a jornalistas ao ser questionado sobre Moro.

Ao chegar no estádio, o presidente pediu aos torcedores uma camisa do Flamengo para ele e também para o ministro. Ganhou a de número 60. Moro ficou com a de número dez, utilizada pelos craques do futebol. Moro chegou ao estádio de terno e gravata, ao contrário do presidente, que estava de agasalho da Seleção Brasileira.

BLOG DO BG

NATAL: CHUVA PERSISTENTE

 
Av. Prudente de Morais com lâmina d’água no cruzamento com a Amintas Barros. Foto: STTU

A chuva persistente que cai em Natal nesta semana, especialmente, entre a noite dessa quarta-feira (12) e manhã de quinta-feira(13) vem causando transtornos. São vários os pontos de alagamento pelas ruas e avenidas da cidade. Entre os principais alertas da Secretaria de Mobilidade Urbana estão a Avenida da Integração, na Zona Sul,  com o tráfego de veículos foi obstruído por causa da água que transbordou da lagoa de captação, próximo da marginal da BR-101. Na mesma região, lâminas d’água se formaram na Avenida Prudente de Morais, nos trechos que cruzam com as avenidas Nascimento de Castro e Amintas Barros.

Na Zona Leste, a STTU alerta para lâminas d’água também se formaram no cruzamento da Rua Silvio Pélico com a Rua Fonseca e Silva, no bairro Alecrim. Lá, a STTU também pede cautela e prudência aos motoristas.

Para evitar acidentes, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) orienta a reduzir a velocidade e que o condutor ligue o farol baixo. Observar o meio-fio das calçadas ou dos canteiros também é uma dica importante para acompanhar os pontos de alagamento.

 
Foto 2: região da Ponte de Igapó/ foto 3: Ponto de alagamento na Av. Hermes da Fonseca, na altura da AABB, sentido Petrópolis

 
BLOG DO BG

E TOME ARRAIÁS