COLUNA DE VICENTE SEREJO

 PALCO

ABUSO – Dos jornalistas Idiana Tomazelli e Thiago Resende, na Folha, com base em números reais: o Congresso aprovou R$ 50 bilhões em emendas para o orçamento de 2024.

MAIS – Ainda assim, com os elevados orçamentos e privilégios, o Legislativo e o Judiciário são os mais ferrenhos cobradores do déficit zero no orçamento da União. Os números nada escondem.

CHARME – No marketing da Amazon, neste dezembro natalino, nos envelopes que trazem os livros comprados por clientes prime, o QR Code do filme ‘A Batalha do Natal’, de Eddie Murfhy.

ABISMO – O livro ‘Biografia do Abismo’, de Fellipe Nunes e Thomas Traumann, edição Harper Collins, é a cartilha do desespero dos brasileiros: “divididos, manipulados e sem futuro certo”.

ATENÇÃO – Amanhã abre a livraria Escribas / JCA. Com o lançamento do livro de crônicas de Pablo Capistrano, ‘Papel de Jornal’. Esquina da Prudente de Morais com Nascimento de Castro.

EMOÇÃO – Para Ailton Castro e ouso publicar seu nome: fiquei comovido com as suas palavras. E abrace seu tio. Uma voz basta – nem precisa ser um grito – para vencer o silêncio quando nega.

POESIA – De Hilda Hilst, a poetisa de versos poderosos e ousados no ‘Poema aos Homens do nosso tempo’, firme: “Senhoras e senhores, olhai-nos. / Repensemos a tarefa de olhar o mundo”.

FALSOS – De Nino, o filósofo melancólico do Beco da Lama, enxugando o uísque no canto da boca na calçada suja do beco: “Não é justo afirmar que a verdade faz medo. Faz. Só aos fracos”.

CAMARIM

GRAVE – É urgente a realização das obras da torre histórica do Convento Santo Antônio diante das graves rachaduras na abóbada que sustenta o Galo, símbolo da cidade. Com menos de um só cachê pago aos artistas, seria possível salvar o mais belo sinal do Natal em Natal. Uma vergonha.

JARDIM – A editora Record confirmou, mas já avisou: o novo livro da grande poetisa Adélia Prado – ‘Jardim das Oliveiras’ – só será lançado no segundo semestre de 2024. Adélia já está há dez anos sem publicar livro inédito. Vivendo o que ela mesma disse ter sido o “deserto criativo”.

RETRATO – Saiu o relatório do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes de 2022. A situação do Brasil é estável, mas continua entre os trinta piores países em nível de leitura. Ou seja: 50% dos estudantes que fizeram a prova não alcançaram a ideia central do texto. É grave.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FUTEBOL NA TV